sexta-feira, 20 de março de 2015

Sinais de uma implosão iminente do sistema financeiro. Bitcoin como investimento seguro?

Como muita gente já sabe, a criação do Bitcoin foi motivada principalmente pela crise financeira mundial de 2008.

Crise que obrigou os bancos centrais de vários países a injetar enormes quantias de dinheiro no sistema econômico. Isso foi feito para evitar que bancos enormes venham a falir, como foi o caso do Lehman Brothers.

Porém os remédios usado pelos bancos centrais, ou seja, criação massiva de dinheiro novo, ou em termos econômicos, "flexibilização quantitativa", assim como taxas de empréstimos extremamente baixas, estão sendo usados há quase 8 anos, sendo que estas medidas, por natureza, não são sustentáveis por longos períodos.
O sistema está assim chegando num limite insustentável e agora, os sinais estão cada vez mais evidentes de que a implosão do sistema financeiro é iminente.

Vamos examinar alguns sinais do colapso aqui.

Os EUA são a maior economia do mundo. Desde 2008, as taxas de juros foram mantidas em um nível historicamente baixo. Acima disso, a FED também completou três rodadas de flexibilização quantitativa, resultando em um balanço inchado.
O nível da dívida contraída pelo governo não tem precedentes.
A FED sabe muito bem que isso não pode continuar, e o primeiro passo para reverter isso é elevar as taxa de juros.
Mas ao observar a forma como o mercado reage -- o dólar subiu entre 5 - 10% contra as principais moedas durante os últimos três meses.
Isto causa um impacto negativo para a economia americana, porque torna a exportação mais cara e fica mais barato importar (incentivando assim a deflação).
A taxa em que este aumento do USD ocorre é impressionante também.
Cremos que a FED quer aumentar a taxa para "normalizar" a economia, mas olhando para a forma como as disparadas do USD acontecem, ela não tem outra escolha a não ser recuar.
Isso efetivamente significa que a FED tem poucas opções agora à sua disposição.

Vista como um bloco, a UE é a segunda maior economia do mundo. A Grécia tem sido manchete recentemente, mas não podemos nos procupar com notícias que aparecem todos os dias pois o perigo já era conhecido.
Sabemos que a economia da UE não está indo bem, nós sabemos que os preços estão em fase de deflação, sabemos também que o BCE tinha introduzido uma flexibilização quantitativa enorme e nós sabemos que o Euro, como a segunda maior moeda, levou um golpe enorme contra o USD. A UE está em situação ainda pior do que os EUA agora.

A China é a terceira maior economia. Sua economia está desacelerando e, novamente, a inflação está diminuindo. O mais assustador é que ela é uma grande economia e, mesmo assim, estatísticas e informações são muito opacas.
O que sabemos é que o setor das construções está em frangalhos agora, após a enorme bolha. E junto disso, os bancos vêm aumentando cada vez mais os empréstimos ruins, leia-se aqui um subprime chinês. Acima disso ainda, as dívidas dos governos locais são enormes.

Em seguida, vem o Japão, que tem experimentado um crescimento estagnado durante as últimas duas décadas. Recentemente, lançou sua própria flexibilização quantitativa numa tentativa de impulsionar a economia.
O efeito ainda está para ser visto, mas com a experiência das flexibilizações quantitativas de outros países no passado, o efeito não pode ser sustentado por muito tempo (fora de um aumento artificial dos preços dos ativos).

Apesar de tudo isso, vemos um aumento drástico no preço de imóveis e no mercado de ações.
Como entender isso? Podemos attribuir isso muito provavelmente à injeção massiva de dinheiro.
Mas isso é muito grave, pois flexibilizações quantitativas não pode ser sustentadas por muito tempo, e já fazem quase 8 anos que isso está durando.
Os EUA não estão mais fazendo isso, porém o BCE e BoJ acabaram de começar.
Dá para se suspeitar que a queda nos mercados será mais abrupta do que canivete caindo.
E quando isso acontecer, adivinhem... as injeções massivas de dinheiro não poderão mais ser feitas, e com as taxas de juro já perto de 0%, o que mais os bancos centrais poderão fazer?

O mercado de acões está batendo recordes no mundo todo, e o ciclo é bem conhecido : depois dos recordes sempre vem o crash.

Índice S&P 500 desde 1992 até hoje
Índice S&P 500 desde 1992 até hoje
(Fonte: Google Finance)

O G20, grupo formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 20 maiores economias do mundo, prevendo o colapso chegar, já estão se preparando para usar os depósitos dos correntistas de bancos para pagar está farra do dinheiro fácil e barato.

O futuro é sombrio e o ativo mais fácil e seguro para se guardar era o ouro. Mas desde que Bitcoin foi introduzido em 2008 e implementado em 2009, o melhor ativo para se guardar hoje é o Bitcoin.
Por que o Bitcoin é melhor do que o ouro já foi longamente discutido neste artigo e não vamos repetir aqui. A desvantagem do Bitcoin é que sua popularidade não pode se igualar com a do ouro neste momento. Quando isso vai mudar, ninguém sabe.

Porém sabemos que empresas como:
etc., já estão usando ou investindo na tecnologia do Bitcoin. Enquanto que o ouro é massivamente usado por bancos centrais, e raramente aceito como forma de pagamento nos comércios.




Olhando através da névoa, qualquer um pode ver que o sistema financeiro global está prestes à implodir. Proteja-se financeiramente quando você puder.

Não sou economista e o que está escrito acima é a minha mera opinião pessoal, do ponto de vista de um leigo economicamente falando.

Para entender melhor a situação que nos espera num futuro breve, aconselho assistir o vídeo abaixo :







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...